Arquivo de novembro de 2012

Aí Presidenta, a senhora veta ou não? Eis a questão!!!

Postado por Caio Hostilio em 28/nov/2012 - 2 Comentários

Pelo andar da carruagem a presidenta Dilma vai tomar sua decisão somente no dia 30, exatamente no ato da assinatura de sua decisão.

Ontem (27), Na coluna Conversa com a presidenta, Dilma disse que o uso responsável dos royalties é passaporte para Brasil mais desenvolvido.

A Presidenta falou que está sendo explorados do pré-sal nas bacias de Santos (SP) e Campos (RJ) 200 mil barris por dia, um total que representa 10% da produção brasileira.

Dilma disse que a exploração do pré-sal será o passaporte para transformar o Brasil em um país muito mais desenvolvido.

Quanto a aprovação ou o veto da divisão dos royalties, a presidenta Dilma não deixou nenhuma pista sobre qual será sua decisão.

E aí, qual é a desculpa? Todos os professores foram formados no Maranhão? Brasil fica em penúltimo lugar em ranking de qualidade de educação

Postado por Caio Hostilio em 28/nov/2012 - 12 Comentários

Por Günter Zibell – SP

O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores. A pesquisa foi encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.

Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong. Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição.

Os resultados foram compilados a partir de notas de testes efetuados por estudantes desses países entre 2006 e 2010. Além disso, critérios como a quantidade de alunos que ingressam na universidade também foram empregados.

Para Michael Barber, consultor-chefe da Pearson, as nações que figuram no topo da lista valorizam seus professores e colocam em prática uma cultura de boa educação.

Ele diz que no passado muitos países temiam os rankings internacionais de comparação e que alguns líderes se preocupavam mais com o impacto negativo das pesquisas na mídia, deixando de lado a oportunidade de introduzir novas políticas a partir dos resultados.

Dez anos atrás, no entanto, quando pesquisas do tipo começaram a ser divulgadas sistematicamente, esta cultura mudou, avalia Barber.

“A Alemanha, por exemplo, se viu muito mais abaixo nos primeiros rankings Pisa sistema de avaliação europeu do que esperava. O resultado foi um profundo debate nacional sobre o sistema educacional, sérias análises das falhas e aí políticas novas em resposta aos desafios que foram identificados. Uma década depois, o progresso da Alemanha rumo ao topo dos rankings é visível para todos”.

No ranking da EIU-Person, por exemplo, os alemães figuram em 15º lugar. Em comparação, a Grã-Bretanha fica em 6º, seguida da Holanda, Nova Zelândia, Suíça, Canadá, Irlanda, Dinamarca, Austrália e Polônia.

Cultura e impactos econômicos

Tidas como “super potências” da educação, a Finlândia e a Coreia do Sul dominam o ranking, e na sequência figura uma lista de destaques asiáticos, como Hong Kong, Japão e Cingapura.

Alemanha, Estados Unidso e França estão em grupo intermediário, e Brasil, México e Indonésia integram os mais baixos. O ranking é baseado em testes efetuados em áreas como matemática, ciências e habilidades linguísticas a cada três ou quatro anos, e por isso apresentam um cenário com um atraso estatístico frente à realidade atual.

Mas o objetivo é fornecer uma visão multidimensional do desempenho escolar nessas nações, e criar um banco de dados que a Pearson chama de “Curva do Aprendizado”. Ao analisar os sistemas educacionais bem-sucedidos, o estudo concluiu que investimentos são importantes, mas não tanto quanto manter uma verdadeira “cultura” nacional de aprendizado, que valoriza professores, escolas e a educação como um todo.

Daí o alto desempenho das nações asiáticas no ranking. Nesses países o estudo tem um distinto grau de importância na sociedade e as expectativas que os pais têm dos filhos são muito altas.

Comparando a Finlândia e a Coreia do Sul, por exemplo, vê-se enormes diferenças entre os dois países, mas um “valor moral” concedido à educação muito parecido.

O relatório destaca ainda a importância de empregar professores de alta qualidade, a necessidade de encontrar maneiras de recrutá-los e o pagamento de bons salários.

Há ainda menções às consequências econômicas diretas dos sistemas educacionais de alto e baixo desempenho, sobretudo em uma economia globalizada baseada em habilidades profissionais.

Que o TRE e Ministério Público Eleitoral tomem as providências cabíveis

Postado por Caio Hostilio em 28/nov/2012 - 10 Comentários

Segue abaixo, uma denúncia de irregularidade no registro de candidatura do vereador Beto Castro (PRTB), eleito em São Luís.

A denúncia chegou por email, conforme abaixo:

From: fabiano cavalcante de oliveira – professorbiano@hotmail.com
Subject: DENUNCIA VEREADOR ELEITO COM FRAUDES
Date: Wed, 28 Nov 2012 04:27:38 +0300

Estou fazendo uma denuncia do vereador eleito em São Luís- MA, pelo PRTB, cujos dados do candidato neste órgão (TRE), são:
*nome para urna eletrônica: BETO CASTRO
*nome completo: Werbeth Macedo Castro
*número 28.288, *data de nascimento: 19/12/1980
*estado civil: casado
*número do processo: 813-22.2012.6.10.0001 
*CNPJ de campanha:16.199.745/0001-61
O vereador faz uso de duas identidades, assim como, dois CPF, dois títulos de eleitor. 
Com dois nomes: 1-) Werbeth Macedo Castro;  2-)Werbeth Machado Castro.
O vereador eleito ainda falsifica o nome de sua própria mãe, pois quando faz uso de: 
-Werbeth Macedo utiliza sua mãe como  -Evangelista Macedo Castro e quando o vereador faz uso do nome -Werbeth Machado, utiliza sua mae como  -Evangelista Machado Castro.
Mas o indivíduo atrapalha-se com o uso dos dois documentos de identificação, pois há documentos que comprovam que WERBETH MACEDO e WERBETH MACHADO são a mesma pessoa.
-mesmo pai BOAVENTURA CASTRO, 
-mesma companheira afetiva RAQUEL SANRTOS DE LACERDA, 
-mesma filha KETHELIN NAIANE DE LACERDA CASTRO, 
-mesmo endereço RUA APOLONIA PINTO,136 BAIRRO DE FATIMA
-sua própria assinatura a punho com os dois nomes: WERBETH MACEDO e WERBETH MACHADO.
Seus dados completos:
1-)WERBETH MACEDO CASTRO, 31 anos
Data de nascimento: 19/12/1980, São Luís – MA
Nome da mãe: Evangelista Macedo Castro
Nome do pai: Boaventura Castro
CPF: 810.399.213-53   RG: 493004955 / SSPMA. Data expedição: 10/08/2010
Título de eleitor: 038.60.8501120
2-) WERBETH MACHADO CASTRO, 30 anos
Data de nascimento: 19/12/1979, São Luís – MA
Nome da mãe: Evangelista Machado Castro
Nome do pai: Boaventura Castro
CPF: 047.842.213-01   RG: 02872492007-0.  Data da expedição:  09/11/2007
Título de eleitor:  065183681112

 

O maior salão náutico da Europa quer vir para o Brasil

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - Sem Comentários

Grand Pavois, realizado tradicionalmente na França, pode ter uma edição no país. A organização do evento encontrou-se hoje com o ministro do Turismo, Gastão Vieira

Brasília (DF) – Os responsáveis pelo maior salão náutico da Europa demonstraram interesse em promover uma edição no Brasil. O diretor geral da Associação Grand Pavois, Christophe Vieux, reuniu-se hoje (27) com o ministro do Turismo, Gastão Vieira, e o secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Fábio Mota, para pedir apoio. Em 2012, o evento reuniu 100 mil visitantes, 850 expositores de 38 países e 250 jornalistas internacionais.

Tradicionalmente realizadaem La Rochelle, na França, o Grand Pavois está na 40ª edição. “A ideia é despertar o interesse da população pela cultura náutica. A programação é extensa, vai muito além da exposição de barcos e ajuda a movimentar o turismo”, explicou Christopher Vieux.

A movimentação para atrair o Grand Pavois para o Brasil começou em setembro, quando Fabio Mota esteve no salão e encontrou-se com empresários em busca de investimentos para o país. “Promovemos reuniões técnicas com representantes de grandes estaleiros para mostrar as oportunidades do nosso mercado”, explicou. Como desdobramento da ação, uma comitiva de investidores desembarcou no Brasil para avaliar o patamar de desenvolvimento do país neste tipo de turismo.

“Com a crise europeia, estamos em busca de novas alternativas e o Brasil tem excelentes condições para receber o Grand Pavois”, afirmou Christophe. Entre as cidades cogitadas para receber o evento destacam-se Recife (PE) e Itajaí (SC). O empresário francês vai marcar, nos próximos meses, encontros com representantes dos dois locais para dar andamento ao processo. 

Na única edição realizada fora deLa Rochelle, a China sediou o evento. Para o ministro Gastão Vieira, o interesse em promover o evento no Brasil mostra o vigor econômico do país. “Temos que aproveitar para mostrar ao mundo o que temos de melhor, nossas oportunidades de investimentos. Dessa forma, vamos aumentar, ainda mais, a geração de emprego e renda”, afirmou Vieira.

É preciso o empenho de todos!!! Sarney pede aos senadores “absoluta prioridade” na votação de novas regras do FPE

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - 16 Comentários

O presidente José Sarney declarou que já está em entendimentos com o presidente da Câmara, Marco Maia, em torno de uma pauta mínima de votações para até o final do ano, incluindo as novas regras para a distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE). Sarney fez um apelo aos senadores nesta tarde, em Plenário, para que seja encaminhada com “absoluta prioridade” a votação do assunto. Caso contrário, será o “caos nacional”, qualificou, a respeito do “vácuo na legislação” que poderá ser aberto, frente à ausência de regras de repasses de recursos para o fundo. No caso do Amapá, exemplificou, 70% de seu orçamento é composto por tais valores.

A pressa na aprovação se deve ao fato de, em 2010, o Supremo Tribunal Federal (STF) ter declarado inconstitucionais as atuais regras de distribuição, estabelecendo como prazo o final de 2012, para que o Congresso crie novos critérios. Caso não seja aprovada uma nova lei até o final do ano, os estados correm o risco de ficar sem o repasse.
A declaração de Sarney foi provocada pela intervenção de vários senadores que discutiram o assunto, a partir da informação dada pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA) que envia, no máximo até amanhã, a cada parlamentar, cópia do relatório do projeto de lei que trata do novo rateio dos recursos do fundo. Trata-se do parecer ao PLS 289/2011, sob sua relatoria na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). O projeto foi apresentado pelos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Romero Jucá (PMDB-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Jorge Viana (PT-AC).

Pinheiro informou que cada estado continua recebendo em 2013, os mesmos valores que já recebe neste ano. Os novos critérios, pela proposta de Pinheiro, seriam utilizados apenas para a distribuição dos recursos que excedessem, em termos reais, o montante distribuído em 2012. Nesse caso, a proposta prevê que a receita adicional seja dividida pelos critérios de maior população e menor renda – “renda per capita domiciliar nominal”, distinguiu o senador – a partir de 2014, gradativamente. Um prazo de transição será estabelecido até 2018, quando seria aprovada nova lei com critérios definitivos para o FPE. Pelo cronograma do relator do projeto, as discussões se estenderiam até a próxima semana e, até o dia 18, os senadores votariam o assunto para envio à Câmara, em tempo hábil para análise e votação, antes do recesso de fim de ano.

Ao ouvir questionamentos sobre as sugestões da Comissão de Especialistas, formada para discutir um novo pacto federativo, o presidente Sarney respondeu que a comissão – criada por ele – fez um trabalho, “realmente notável”. Sem entrar no mérito das várias propostas formuladas, explicou que o objetivo foi exatamente de apresentar subsídios, colocados à disposição dos senadores, para ajudar na elaboração dos projetos. Os trabalhos foram concluídos em prazo curto e reúnem muitos dados e informações, sob a liderança do ministro Nelson Jobim, “um homem extraordinário pelo seu saber, pelo seu espírito público e pela sua experiência”, acrescentou.

É preciso atrair mais!!! Governadora Roseana destaca investimentos e avanços na economia do Maranhão durante seminário

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - Sem Comentários

O Maranhão vive uma nova perspectiva de crescimento econômico fortalecido pela parceria público-privada. Esse potencial foi apresentado durante o seminário “Maranhão: Oportunidade de Investimento”, realizado hoje (27), pelo Governo do Estado, por meio da Sedinc, em parceria com o jornal Valor Econômico, no Hotel Luzeiros.

“Em 2010 o IBGE divulgou que o nosso PIB foi 8,7%, um crescimento acima da média brasileira e a segunda do Nordeste com uma variação de mais de 10% de um ano para outro”, declarou Roseana Sarney. Ela disse que os empreendimentos estão sendo instaladosem São Luise em diversas regiões do Estado, investimentos da ordem de R$ 120 bilhões. Envolvem projetos diversificados nas áreas de petróleo e gás, energia, cimento, alumínio, ouro, logística, entre outros.

Na abertura, o presidente da Fiema, Edilson Baldez, disse que o Maranhão está vivendo um momento peculiar da sua história. “O setor industrial é o mais beneficiado e está trabalhando para atender esse novo cenário econômico investindo na ampliação de nossa infraestrutura física, na compra de equipamentos e em recursos humano e tecnológico”, revelou. Os investimentos da Fiema superam R$ 67 milhões para ampliar o atendimento educacional e de capacitação técnica.

Para o presidente da Alcoa para América Latina, Franklin Feder, já são 40 anos de investimentos no Maranhão, que possui o maior complexo industrial do mundo, garantindo emprego a 2 mil funcionários maranhenses. “A Alcoa acredita no Maranhão e continua investindo, foram R$ 4 bilhões na expansão da refinaria e na construção da hidrelétrica de Estreito e mais R$ 30 milhões em investimentos sociais”, revelou.

O seminário, coordenado pelo diretor do Jornal Valor Econômico, Carlos Raíces, reuniu executivos dos principais projetos em implantação no Maranhão no intuito de atrair mais empreendimentos, além de representantes de entidades e instituições ligadas ao setor produtivo. Mauricio Macedo disse: “Nosso crescimento foi acelerado nos últimos três anos, mas agora precisamos amplificar nosso portfólio de investimentos”, analisou.

O secretário apresentou os projetos implantados e os que se encontram em fase de implantação. “O Maranhão hoje é um estado promissor, possui vários atrativos, é o Portal da Amazônia, liga o Nordeste ao Centro/Oeste, está se tornando grande produtor de energia elétrica, possui água, gás, rodovias, ferrovias e o Porto do Itaqui em processo de expansão e modernização, fatores que tornam o estado um dos mais atraentes no momento”.

O seminário contou, ainda, com as presenças de Edio Rodenheber, da MPX; Sérgio Marques, da Bioenergy; Augusto Miranda, da Cemar; Zenaldo Oliveira, diretor Global de Logística da Vale; Ernesto Pousada, diretor Executivo de Operações da Suzano; e Helton Mendes, superintendente do Banco do Nordeste no Maranhão (BNB).

Para o superintendente do BNB, Helton Mendes, palestrante do painel “Instrumentos para Financiamento”, o BNB investiu R$ 2,5 bilhões em projetos maranhenses no ano de 2011e possui a meta de superar esse valor  este ano. “Temos diversos instrumentos para apoiar os investidores, possuímos um portfólio de produtos e serviços diferenciados para cada empreendimento. O Maranhão vem dando sinais de que é um grande estado, que tem grande potencial e vamos continuar apostando e investindo cada vez mais”, garantiu.

No terceiro painel “Desenvolvimento em Parceria com a Iniciativa Privada”, o diretor de implantação da MPX Energia, Edio Rodenheber, disse que o Maranhão representa, hoje, o maior polo de investimento para a empresa. “Estamos investindo, entre MPX e OGX, na exploração gás, R$ 9 bilhões no Maranhão. Já contratamos R$ 5 bilhões, a primeira termelétrica a carvão já entrouem operação. Asegunda térmica a gás deve entrar em operação em janeiro de 2013”, anunciou.

Para o diretor Global de Logística da Vale, Zenaldo Oliveira, o seminário foi a oportunidade de nivelamento de informação para mostrar tudo o que está acontecendo no Maranhão. Ele revelou que a empresa só tem avançado. Tudo começou com a instalação do Projeto Carajás, que compreende a Mina, a Ferrovia Carajás e o Porto.  “Estamos falando, agora, do maior projeto em execução que a Vale está realizando que é a duplicação da Ferrovia Carajás e a ampliação do Porto, que no pico máximo das obras vai gerar de 20 mil a 30 mil empregos. Em três anos esperamos duplicar nossa capacidade aqui no Maranhão”, revelou.

Rapidinhas

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - 10 Comentários

Nota sobre licitação de hospitais‏

“A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que anulação do processo licitatório para a construção de hospitais estaduais nos municípios de Chapadinha, Caxias, Imperatriz, Pinheiro e Santa Inês foi motivada pela necessidade de adequação dos editais de licitação exigida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), instituição financiadora das referidas obras. O BNDES exige a adaptação dos editais à Lei 866 (legislação federal), e a licitação promovida pela SES estava obedecendo à Lei 9.579/2012, legislação estadual que trata de licitações e foi elaborada com a participação de órgãos de controle estaduais e federais, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Tribunal de Contas da União (TCU). Feitas as adequações técnicas, novos editais serão publicados ainda esta semana para a retomada da licitação das cinco obras, consideradas de fundamental importância para a complementação do Programa Saúde é Vida, o mais audacioso investimento em saúde pública já realizado no Maranhão”.

Joãozinho Ribeiro quer emplacar Josias Sobrinho na Cultura

Depois de ser rifado, o petista Joãozinho Ribeiro vem tentando emplacar o cantor Josias Sobrinho na Secretaria de Cultura do governo de Edivaldo Holanda. Segundo informações, ele vem usando até o nome do cantor Zeca Baleiro para colocar uma pessoa sua na pasta. O problema foi que levantaram a ficha do Josias Sobrinho e viram que o rapaz passou por diversas secretarias do governo municipal e até estadual, cujo histórico não é favorável.

Excelente iniciativa!!! Vereadora propõe parceria da Suzano e Prefeitura para recuperar vicinais

A vereadora Maria Rodrigues de Araújo Mendes (PSB), a Maria do Sindicato, defendeu ontem (27) que seja formalizada uma parceria entre a Prefeitura de João Lisboa e o grupo Suzano para revitalização de estradas vicinais que foram danificadas pelos ônibus que transportam funcionários do interior do município para o “site” de obras da empresa situada nas margens da “Estrada do Arroz”, na altura do povoado Bacaba, em Imperatriz. “Esse problema se agravou pelo uso constante de ônibus que prestam serviços ao grupo Suzano, prejudicando a comunidade joãolisboense, principalmente os pequenos produtores rurais que necessitam das vicinais para escoamento da produção agrícola às feiras de João Lisboa e Imperatriz”, justificou ela, que manifesta preocupação com a chegada do período invernoso que poderá deixar dezenas de famílias em situação de isolamento na zona rural de João Lisboa.

Na bucha!!! Pedro Simon dispara contra governadores e ministros

Em entrevista exclusiva à edição número quatro da Revista Congresso em Foco, o senador Pedro Simon (PMDB/RS), disse que os atuais governadores do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT); do Paraná, Beto Richa (PSDB), e de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD), são “um zero à esquerda”. O ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, é outro “zero à esquerda, uma pataca”. Quem dispara é o senador Pedro Simon (PMDB-RS), uma das vozes mais experientes da política brasileira. E dono, também, de uma das línguas mais afiadas.

Marreca orienta prefeitos a atuar em parceria com órgãos de controle

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), prefeito Júnior Marreca, orientou os colegas gestores, ontem, durante a abertura do seminário “Desafios, Perspectivas e Limites da Gestão Pública Municipal”, no auditório da Federação da Indústria do Estado do Maranhão (Fiema), a trabalharem em parceria com os órgãos de controle externo. Segundo ele, os tribunais de contas da União e do Estado, e a Controladoria Geral da União (CGU) não devem ser vistos apenas como fiscalizadores da atuação dos administradores públicos. Representantes do TCE, do TCU e da CGU estiveram presentes na abertura do evento, que contou ainda com a participação do vice-presidente da Famem, prefeito Gil Cutrim, e do diretor Juarez Lima, prefeito de Icatu. Outros 135 prefeitos participaram, na plateia. “O prefeito não pode se distanciar dos órgãos de controle. E os representantes do TCU, da CGU e do TCE estão aqui para comprovar isso. Eles são fiscalizadores, sim, da gestão municipal, mas tenho certeza que estão de portas abertas para trabalhar como parceiros, orientando os prefeitos a como trilhar o caminho certo na administração pública municipal”, disse.

Matéria do blog vira polêmica no Portal do Luis Nassif

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - 14 Comentários

A matéria “Quem ama sua terra faz assim!!! Parabéns, Rio de Janeiro!!!”, foi postada aqui hoje  (27), às 7:00h, e publiquei na minha página no Luiz Nassif às 7:10h. O jornalista Luis Nassif postou a matéria em sua página principal às 9:20h, deixando apenas por 12 minutos como matéria inicial. Até o momento dessa postagem já havia 55 comentários de todo o Brasil, cuja mensuração é variada e serve para medir o pensamento dos brasileiros sobre o assunto.

A passeata pela defesa dos royalties no Rio de Janeiro

Enviado por luisnassif, ter, 27/11/2012 – 09:20

Por Hostilio Caio Pereira da Costa

Quem ama sua terra faz assim!!! Parabéns, Rio de Janeiro!!!

Não houve discursos políticos e muitos participantes tinham a cara pintada de azul e branco, as cores da bandeira do Rio. Todos em defesa do Rio, sem partidarismo ou ideologia, mas sim pela luta por seus direitos, enquanto outros lutam para que suas terras fiquem cada vez mais arrasada. 

55 comentários  

Agora digam que a corrupção nesse país não é endêmica!!!

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - 10 Comentários

De uma lapada só!!! Ontem (26), assistindo o Jornal Nacional, veio à tona mais e mais falcatruas do Escritório da Presidência da Repúblicaem São Paulo.Penseique tivesse acabado.

No segundo bloco, foi descoberta uma quadrilha de funcionários públicos que se faziam de detetives para descobrir segredos dos mais diversos órgãos federais. Pronto.

Não demorou e o apresentador fala que a Polícia Militar de São Paulo está diretamente envolvida na onda de crimes no Estado. Chega!!!

Esqueci que já até havia publicado nesse blog a investigação da PF na CBF, quando o Jornal Nacional trouxe o assunto.

No último bloco uma notícia muito triste para os brasileiros, Carlinhos Cachoeira encontra-se internado num hospital em Goiânia, visto que se encontra debilitado.

Isso me lembrou de uma matéria que fiz “Jornal O Globo e sua pergunta idiota…”, no dia 05 de agosto de 2011.

Por que a população não sai às ruas? Convenhamos que essa pergunta seja imbecil. O jornal O Globo publicou uma reportagem no domingo (16) para questionar por que os brasileiros não saem às ruas para protestar contra a corrupção.

Na verdade, o povo aprendeu a usar os políticos, coisa que antes era apenas usado como bucha de canhão para os poderosos… Portanto, que eles se engalfinhem pelo poder. Esse papo de sair as ruas não cabe mais nos dias de hoje, haja vista que a política, ou melhor, a politicalha se tornou pragmática, cujos resultados são dois lados brigando e efetuando atos ilícitos. Então, por que o povo é que tem que sair as ruas? Ora bolas!!! As instituições constitucionais é que têm que criar vergonha!!!

O povo está certo em não entrar nessa briga intestina pelo poder, haja vista que são sempre as mesmas figurinhas carimbadas, ou seja, o sujo falando do mal lavado.

Diga um partido político brasileiro que já não praticou atos ilícitos. Todos!!! Que não venham com história da carochinha.

O jornal o Globo é tucano desde criancinha e usa suas linhas para estimular a população a servir de bucha de canhão, quando todos sabem que os governos do PSDB e o do PT praticaram atos de corrupção, porém não atingiu a população e sim a classe política e jurídica.

Que o povo aprenda cada vez mais a usar os políticos e, assim, saber tirar proveito, pois vivemos num país onde a corrupção é endêmica e a impunidade tem um valor imensurável. 

Político é cínico por natureza? Ou melhor, é o indivíduo que acentua ao máximo esse traço comportamental reprovável?

Se fosse apenas e tão-somente a pulsão maior da hipocrisia, não haveria problemas. Os brasileiros são carnavalizadores por execelência – sabem avacalhar qualquer situação.

O cinismo dos engravatados da política significa o roubo sem interrupção do dinheiro de todos – aqueles recursos arrancados do bolso de cada um na forma da segunda maior carga de impostos do planeta.

Os templos maiores do cinismo são o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal (STF), As Assembléias Legislativas, As Câmaras de Vereadores, Os Tribunais Justiças, Os executivos estaduais, os executivos municipais, os Ministérios Públicos, os Tribunais Contas Estaduais etc.

Exatamente a representação dos três poderes “harmônicos e independentes” como reza a Constituição.

Harmonia e independência para manter um esquema desigual num país “abençoado por Deus e bonito por natureza”.

Aí vem O Globo querer fazer farra em cima do povo? Haja óleo de peroba!!!

A impunidade no Brasil gera até cinismo de baixíssima categoria!!!

Portanto, se O Globo quer uma luta contra tudo isso, deve começar a criticar a venda da CVRD, a telefonia brasileira, a venda das estatais a preço de banana e outras falcatruas mais…

Educação não é para se debater no critério politiqueiro, mas sim educacional em sua essência.

Postado por Caio Hostilio em 27/nov/2012 - 4 Comentários

Diante das baboseiras que escutei sobre o resultado do Enem 2011 nas mais diversas esferas da sociedade maranhense, sem que mensurassem os indicadores e o objetivo do Enem, principalmente no debate politiqueiro de ontem (26) na Assembléia Legislativa, que esquece que a Educação é uma linha reta e que cada etapa é o reflexo da anterior, resolvi publicar essa avaliação G1, que foi feita dentro dos princípios educacionais por quem conhece educação de fato.

Para educadores, ranking do Enem não avalia qualidade da escola

Especialistas afirmam que notas médias ‘apagam diferenças sociais’. Sistemas não pontuais que avaliam a evolução do aluno são mais precisos.

O resultado de determinada escola no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) não deve ser o único critério para que pais decidam matricular seus filhos nela, afirmam especialistas em educação ouvidos pelo G1. De acordo com os educadores, a comparação entre escolas não dá pistas sobre a qualidade do ensino, e o uso do Enem como “vestibular” não mede os desafios que o estudante enfrenta no aprendizado durante o ensino médio.

Ocimar Munhoz Alavarse, professor de avaliação e política educacional Faculdade de Educação da USP, diz que “o Enem a cada ano mais está se transformando num grande vestibular” e, por isso, “derivar a qualidade da escola [a partir do ranking do Enem] é questionável”. De acordo com ele, o ranking só tem utilidade para “os pais são aqueles que acham que passar no vestibular é a melhor característica da escola”.  Alavarse explica que a prova mede habilidades específicas de cada aluno individualmente e, por isso, não pode ser considerado o único indicador de qualidade “se você levar em conta série de desafios colocados no ensino médio”. 

O uso mercadológico desse ranking pelas escolas, segundo o professor da USP, apela para o tipo de público que dá muito valor ao ingresso à universidade e ao posicionamento “do aluno no processo de disputa”.

A lista, porém, não abrange a realidade das escolas. “Hoje a imensa maioria das escolas não tem condições de organizar seu currículo em função do que o Enem cobra.” Alavarse diz que, para avaliar as escolas, prefere os dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), exame aplicado a cada dois anos por amostragem de alunos.

Para a coordenadora do curso de pedagogia da Unicamp, Maria Márcia Sigrist Malavasi, o Enem não é um sistema de avaliação.

De acordo com ela, “só se pode avaliar de fato a qualidade da escola se for feito acompanhamento dos alunos que estão lá, mais de um exame daquele mesmo aluno para ver quanto de melhoria a escola o ajudou a ter”.

A coordenadora de psicopedagogia da PUC de São Paulo, Neide Noffes, afirma que “a competição e a comparação [entre escolas] não dá pistas”, porque só mostra as notas, mas “não elenca os atributos dessas escolas”. Escolher a escola ideal para os filhos, segundo ela, é uma tarefa que precisa levar em conta outros critérios.

“Nenhum pai quer o filho na pior escola, mas, normalmente, a escola boa também é uma escola média. Ela tem que ter um bom perfil, mas não precisa ser o topo de linha, senão vira muita competição”, diz.

Pública versus privada

A inclusão das escolas privadas e públicas em uma mesma lista é considerada arriscada para avaliar efetivamente cada colégio, segundo os educadores. “Não se pode comparar escolas com situação muito diferente de nível sócio-econômico, porque você pode cometer enormes injustiças à escola que tem seus alunos ingressantes com muito mais dificuldades que outros”, diz Maria Márcia.

Ela acredita ainda que a divulgação das escolas por média final acaba mascarando detalhes sobre a evolução dos alunos. “Achamos ingenuamente que a escola particular faz mais [pelo aluno]”, já que “alguma escola que, aparentemente, tem classificação menor, pode ter avançado muito mais com os estudantes porque os recebeu com grau de conhecimento muito pequeno, do que uma escola que já recebeu alunos em outro patamar e agregou muito pouco a eles”, diz ela.

Alavarse, da USP, também afirma que não se pode comparar escolas públicas e privadas como se elas estivessem “na mesma magnitude” porque isso “apaga as diferenças sociais”. De acordo com ele, cerca de 90% dos estudantes brasileiros frequentam escolas públicas. “Dentro desses 90%, há escolas em situações muito precárias”, explica ele.
O professor destaca ainda que mais da metade dos alunos do terceiro ano do ensino da rede pública estudam no período noturno, que “em geral tem funcionamento ainda mais precário”.
Enquanto Alavarse diz que o resultado não apresentou novidades, a professora da Unicamp, porém, acredita que o ranking do Enem, da forma como foi divulgado, “reflete o quadro social” do Brasil. A solução, segundo ela, é “investir muito mais na escola pública, para tentar diminuir o efeito perverso do nível sócio-econômico dos estudantes que ingressam nela”.

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos