Arquivo de dezembro de 2018

Tema destaca trabalho eficaz da Polícia para elucidar execução do prefeito de Davinópolis

Postado por Caio Hostilio em 28/dez/2018 - Sem Comentários

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), prefeito Cleomar Tema, destacou, nesta quinta-feira (27), o trabalho eficaz desenvolvido pela Polícia maranhense e que resultou na prisão de vários envolvidos no assassinato do prefeito de Davinópolis, Ivanildo Paiva.

O crime aconteceu mês passado e chocou o estado pela sua brutalidade. O gestor foi executado com vários tiros em uma fazenda de sua propriedade, localizada na zona rural da cidade.

Ainda em novembro, Tema reuniu-se com a cúpula da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), oportunidade na qual solicitou empenho e celeridade no que se refere a elucidação do assassinato.

“A resposta da Polícia foram as prisões de vários envolvidos, inclusive do possível mandante, neste crime bárbaro. Assim como cobrei de público celeridade nas investigações, venho, de público, parabenizar o trabalho do sistema de Segurança Pública do estado”, afirmou o líder municipalista.

Ontem, Policiais Civis prenderam o fazendeiro Antônio José Messias, de 62 anos, mais conhecido na região como “Messias do Pneu Zero”.

Ele é acusado de ser o mandante do crime.

Antônio José possui empreendimentos em Davinópolis e disputou, sem sucesso, o cargo de vereador no município em duas oportunidades.

Já haviam sido presos, acusados  de envolvimento no crime, Francisco de Assis Bezerra Soares, conhecido como “Tita”, que é policial militar no Pará e foi detido em Dom Elizeu; José Denilton Guimarães, conhecido como “Boca Rica”, que é mecânico; Willame Nascimento da Silva, policial militar do Maranhão lotado em Grajaú; e Jean Dearlen dos Santos, o “Jean Listrado”, que, segundo as investigações, é pistoleiro.

Tita e José Guimarães, segundo a polícia, foram os responsáveis pela articulação para a contratação dos assassinos. E segundo a Polícia Civil, Jean Listrado e Willame da Silva foram chamados para serem os executores.

Agenda dos 100 dias: Bolsonaro revisará atos dos últimos 60 dias de Temer

Postado por Caio Hostilio em 28/dez/2018 - Sem Comentários

Equipe de ministros de Bolsonaro revisará últimos atos da gestão de Michel TemerA equipe de ministros do governo de Jair Bolsonaro (PSL) revisará e pode revogar medidas tomadas nos últimos 60 dias da gestão de Michel Temer (MDB). A orientação é de 1 documento entregue nesta 5ª feira (27.dez.2018) pela equipe de Bolsonaro aos ministros, uma espécie de “Agenda dos 100 dias” do novo governo. Leia a íntegra.

Segundo o texto, caberá a cada ministério elencar políticas prioritários logo nos 10 primeiros dias de governo, incluindo “a revisão de atos normativos legais ou infralegais publicados nos últimos 60 dias do mandato anterior, para avaliação de aderência aos compromissos da nova gestão“.

Nos últimos dias, o presidente eleito criticou algumas decisões tomadas pelo governo Temer. Uma delas foi a indicação do líder do governo do emedebista no Congresso, deputado André Moura, para uma diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). São decisões como essa que poderão ser revogadas pela equipe do novo governo.

Bolsonaro também criticou a distribuição de recursos da lei Rouanet por Furnas, uma subsidiária da Eletrobras.

Reformas prioritárias apresentadas em 100 dias

Nos 30 primeiros dias, as pastas devem elaborar atos para concretizar as propostas, que devem ser encaminhadas à Casa Civil dentro de 60 dias.

Os ministros terão, então, de elencar uma das políticas prioritárias para implementação ou envio para o Congresso. A meta é que isso seja feito nos 100 primeiros dias de governo.

O documento não menciona projetos específicos como as reformas da Previdência e tributária. Mas estabelece metas gerais para os ministérios:

  • 10 dias – conhecimento do órgão, nomeação dos cargos-chave, identificação de obras pendentes e reavaliação de atos dos últimos 60 dias do governo Temer;
  • 30 dias – revisão do modelo de governança, elaborar atos para concretizar propostas prioritárias e propor eventual revogação de leis e decretos existentes;
  • 60 dias – revisão dos colegiados que foram os órgãos e encaminhamento à Casa Civil de atos para concretizar as propostas prioritárias (com envio ao Congresso, caso necessário);
  • 90 dias – encaminhamento à Casa Civil do balanço de 100 dias de governo.

Há uma cerimônia de comemoração dos 100 dias de governo marcada para 11 de abril.

Diretrizes

Chamado “Agenda de Governo e Governança Pública”, o documento traz datas para posse e reuniões e outras diretrizes para os primeiros 6 meses de governo.

Na semana passada, o governo de transição já havia distribuído 1 manual de governança, com regras da administração pública para os integrantes da equipe ministerial.

Segundo a ‘Agenda dos 100 Dias’, a intenção é realizar uma reunião todas as terças-feiras com o que chamaram “Conselho do Governo”, composto pelo presidente, pelo vice, General Hamilton Mourão, e os ministros. Também serão feitas algumas vezes na semana reuniões com ministérios específicos.

O texto traz ainda uma série de orientações para integrantes do governo para a utilização de benefícios como auxílio moradia, viagens internacionais e cartões corporativos.

O tópico sobre nepotismo inclui uma ilustração:

PF vai investigar ameaça de suposto grupo terrorista à posse de Bolsonaro

Postado por Caio Hostilio em 28/dez/2018 - Sem Comentários

Posse de Bolsonaro será na próxima terça-feira, 1ºA Polícia Federal vai investigar em um inquérito uma suposta ameaça de atentado na posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, marcada para o dia 1º.

A autoria da ameaça é de um grupo que se define como “ecoterrorista” e “ecoextremista” e reivindicou ter colocado uma bomba caseira em uma igreja em Brazlândia, região administrativa do Distrito Federal, na madrugada de Natal no dia 25 – o artefato explosivo foi desarmado pela Polícia Militar.

A Polícia Civil começou a investigar o caso e chegou a um grupo autointitulado “Maldição Ancestral”, que disse ter colocado a bomba ao lado da Igreja Santuário Menino Jesus, no centro de Brazlândia. As informações foram remetidas à PF, que tem atribuição de investigar suspeitas de ameaças a presidentes da República. O caso foi revelado pelo site Metrópoles.

No site do grupo autodenominado antipolítico, anticivilização e terrorista, há um texto considerado pela Polícia Civil como ameaça a Bolsonaro. “Se a facada não foi suficiente para matar Bolsonaro, talvez ele venha a ter mais surpresas em algum outro momento, já que não somos os únicos a querer a sua cabeça”, diz o trecho do texto.

“Dia 01 de Janeiro de 2019 haverá aqui em Brasília a posse presidencial, e estamos em Brasília e temos armas e mais explosivos estocados…”, acrescentou o grupo, que se diz “em tocaia terrorística contra o progresso humano”.

Segurança

Segundo uma fonte na Polícia Federal disse ao jornal O Estado de S. Paulo, o protocolo de segurança da PF no dia da posse, 1º de janeiro, não será alterado por causa dessa ameaça. A Polícia Federal, no entanto, faz apenas a segurança mais próxima do presidente eleito.

Outros órgãos também atuarão no evento, como o GSI, o Exército, a Força Nacional e a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, e a PF não tem como afirmar se outros órgãos mudarão algo no esquema de segurança.

A investigação sobre a tentativa de atentado na igreja em Brazlândia continuará a ser apurada pela 18ª Delegacia de Polícia Civil.

Assistam ao vídeo!!! Fábio Gentil faz um retrospectiva de sua gestão em mensagem de Ano Novo

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários


Um ano de muitas conquistas e trabalho realizado. Em 2019 teremos muito mais a realizar. Mensagem de ano novo do prefeito de Caxias, Fábio Gentil.

Esquema de segurança para a posse de Bolsonaro inclui mísseis antiaéreos

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários

FAB monta esquema especial para impedir a entrada de veículos não autorizados nos céus de Brasília durante a cerimônia

(foto: Mauro Pimentel/AFP)
A posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), contará com um forte esquema de segurança no ar e na terra. Além do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), que já anunciaram esforços para garantir uma cerimônia segura e sem surpresas para o futuro presidente e os cerca de 500 mil apoiadores que devem marcar presença, as Forças Armadas também terão forte atuação. A Força Aérea Brasileira (FAB) estará com aeronaves e mísseis antiaéreos como “pronta resposta” a possíveis ameaças.

O esquema de segurança montado pela Aeronáutica segue a logística utilizada na Copa do Mundo e nas Olimpíadas, eventos sediados no Brasil em 2014 e 2016, respectivamente. Por meio da criação das chamadas “áreas de exclusão”, só aeronaves autorizadas poderão sobrevoar, em um raio de 130km a partir da Praça dos Três Poderes. Serão três: vermelha, amarela e branca.

A vermelha compreende um raio de 7,4 quilômetros, onde o sobrevoo será proibido. As únicas exceções serão dadas a um helicóptero da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que fará a transmissão oficial do evento, e a Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) da Força Aérea. É esse perímetro que estará na mira dos mísseis antiaéreos.

A área amarela deve abarcar um raio de 46,3km, abrangendo o Aeroporto Internacional de Brasília. Para sobrevoar a região, será preciso coordenar autorizações junto à FAB, que assegura que nenhum voo comercial será afetado. A área branca, considerada reservada, abrange um raio de 129,6km. Para sobrevoá-la, não será necessário requerer autorização, apenas o plano de voo.

O objetivo é proteger a todos os espectadores, a exemplo dos eventos esportivos, destaca o comandante de Operações Aeroespaciais da FAB, Major Brigadeiro do Ar Ricardo Cesar Mangrich. “Pretendemos criar uma área de extrema segurança, impedindo a entrada de meios aéreos não autorizados. Para cumprir o objetivo, a Força Aérea Brasileira conta com aeronaves preparadas para a pronta resposta e mísseis antiaéreos”, declarou ao Correio.

Entre os equipamentos citados pelo major, está o drone RQ-900, uma das tecnologias mais novas da Força, que atuará fornecendo dados para segurança e defesa do evento. “Haverá também um sistema de interferência em drones que possam sobrevoar o local. Caso alguma aeronave consiga entrar na área vermelha sem autorização, ela será automaticamente identificada como hostil e estará sujeita às medidas que forem necessárias, inclusive a destruição”, explicou Mangrich.

O reforço militar será feito pelas aeronaves F-5M, A-29, H-60 Black Hawk, H-36 Caracal, RQ-900 Hermes e C-98 Caravan, além de artilheiros munidos de mísseis teleguiados. Os pilotos e demais militares estarão de prontidão para barrar possíveis interceptações que possam colocar em risco a segurança da posse.

 

(foto: Valdo Virgo/CB/D.A Press)

Por terra

Por terra, o esquema de segurança estará igualmente reforçado. Militares e membros das forças auxiliares de segurança pública ocuparão pontos estratégicos ao longo da Esplanada. Diante da segurança montada, o recomendável para os interessados em acompanhar a cerimônia na Esplanada dos Ministérios é chegar até as 14h. É nesse horário que Bolsonaro sairá da Granja do Torto rumo à Catedral, onde encontrará o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB). Com batedores e caminho livre, não demorará para que o presidente eleito cumpra o trajeto. A previsão é de que chegue às 14h25.

Por motivos de segurança, não há perspectiva de Bolsonaro participar da tradicional cerimônia religiosa na Catedral. De lá, o presidente eleito e Mourão seguem em carros separados ao Congresso, onde serão recepcionados pelos presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O cortejo tem previsão de 15 minutos de duração.

Mesmo sem ainda definir se Bolsonaro fará o trajeto no tradicional Rolls-Royce conversível, veículo usado durante cerimônias pelos presidentes desde a década de 1950, todo o percurso será feito ao longo de uma rigorosa segurança. O esquema prevê o uso de equipamentos especiais para bloquear sinais com frequências eletromagnéticas de controle de drones e as chamadas frequências piratas. A população permanecerá isolada das vias sem munir quaisquer itens que possam ser uma ameaça.

Os interessados em acompanhar a posse vão, obrigatoriamente, passar por vistorias pessoais em quatro pontos próximos à Rodoviária do Plano Piloto. Será impedida a entrada de objetos como fogos de artifício, apontadores a laser, objetos cortantes, drones, armas de fogo, produtos inflamáveis e até animais, carrinhos de bebê e guarda-chuvas.

Último ensaio

No próximo domingo, com a Esplanada já interditada, será realizado o último ensaio geral da posse. Na ocasião, serão feitas simulações dos percursos que Jair Bolsonaro fará no dia da posse, com alternativas para o caso de chuva. Nessa hipótese, a chegada do presidente eleito não será pela rampa do Congresso, mas pelo Salão Branco, com acesso pela chamada chapelaria. A revista às tropas também será feita em área coberta e a salva de tiros pode até ser cancelada.

Ex-presidente da Câmara de Paço do Lumiar é condenado por peculato

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários

Uma Denúncia proposta pela 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar, em 2017, levou a Justiça a condenar, no último dia 6, José Francisco Gomes Neto, ex-presidente da Câmara Municipal, a dois anos e três meses de reclusão, em regime aberto, além do pagamento de 30 dias-multa.

Por atender aos requisitos legais, a pena restritiva de liberdade foi transformada em prestação de serviços à comunidade e pagamento de sete salários mínimos a instituição indicada pela Justiça.

A Denúncia, assinada pela promotora de justiça Gabriela Brandão da Costa Tavernard, teve por base a desaprovação das contas da Câmara de Vereadores de Paço do Lumiar no exercício financeiro de 2006, quando José Francisco Gomes Neto era o presidente. Entre as irregularidades estavam dados divergentes, o não encaminhamento de documentos exigidos, perda de prazo do relatório de gestão fiscal e ausência de informação acerca dos pagamentos dos subsídios dos vereadores.

Além disso, o ex-gestor recebia vencimentos superiores ao permitido, que seria de 40% do subsídio de deputado estadual, o que resultava na apropriação indevida mensal de R$ 3.814,00. O próprio Tribunal de Contas do Estado (TCE) condenou José Francisco Gomes Neto a devolver R$ 45.768,00 e pagar R$ 4.576,80 de multa.

Sem recesso, sem descanso: Hildo Rocha permanece em Brasília trabalhando para conquistar benefícios para o Maranhão

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários

Quando se fala em político atuante, disposto, aguerrido e incansável é impossível não lembrar do deputado federal Hildo Rocha. Sempre foi assim em todas as atividades que exerceu. Hildo Rocha começou a trabalhar ainda na infância, quando ficou órfão de pai. Daí em diante pegou gosto pelo trabalho e sempre se destacou pela disposição e pela capacidade de mostrar resultados.

Ontem, o deputado deu mais um bom exemplo da sua incansável dedicação ao mandato parlamentar. Mesmo no período de recesso, esteve em vários ministérios e também foi recebido no Palácio do Planalto onde tratou sobre a liberação de ônibus escolares; carros para a assistência social; créditos orçamentários para a FUNASA e aumento de teto financeiro para atendimentos de Alta e Média Complexidade (MAC), de unidades de saúde municipais, entre outros benefícios.

Articulações com novos gestores

Hoje, Hildo Rocha dará continuidade ao trabalho de articulação em busca de conquistas para os municípios maranhenses. Com Rodrigo Dias,  presidente  da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), o parlamentar irá tratar sobre créditos orçamentários referentes a implantação de sistemas de abastecimento de água para as cidades de Água Doce, Esperantinópolis, Peri – Mirim, Cantanhede, Magalhães de Almeida, entre outras.

Na sequência, Hildo Rocha irá se reunir com Gustavo Canuto, atual Secretário Executivo do Ministério da Integração que a partir de janeiro será alçado ao posto de Ministro da pasta.

Fechando a série de reuniões, Hildo Rocha será recebido em audiência pelo Ministro da Secretaria de Governo Carlos Marun para alinhar demandas prioritárias que ainda estão pendentes e que precisam ser atendidas ainda este ano.

Otimismo

Ontem, na saída do Palácio do Planalto, Hildo Rocha gravou um vídeo no qual reafirmou o seu otimismo quanto ao desempenho do novo governo que se instalará a partir do dia 1 de janeiro de 2019.

“Estou convicto de que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, irá ajudar o Maranhão. Irei trabalhar, junto a ele,  para que a gente possa melhorar a qualidade de vida do povo maranhense”, afirmou Hildo Rocha.

https://youtu.be/r_Tzi7rcHew

Bolsonaro promete conter ‘desperdício de recursos’ e cita Lei Rouanet

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários

Bolsonaro: 'Há claro desperdício rotineiro de recursos, que podem ser aplicados em áreas essenciais'O presidente eleito Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira, no Twitter, que vai adotar um “rígido controle de concessões” fiscais para evitar desperdício de recursos públicos. O político citou como exemplo desse gasto um repasse da Lei Rouanet, norma que autoriza a destinação de verbas federais para projetos artísticos e culturais.

“Em 2019 iniciaremos rígido controle de concessões. Há claro desperdício rotineiro de recursos, que podem ser aplicados em áreas essenciais. Este mês, num só dia, o gerente de Responsabilidade Sociocultural de Furnas autorizou via Lei Rouanet R$ 7,3 milhões para 21 entidades.”

O presidente eleito não deu mais detalhes do caso nem apresentou qualquer indício de irregularidade no repasse.

Desde o período da campanha, Bolsonaro têm se manifestado sobre a Lei Rouanet. Em setembro, antes mesmo de ser eleito, o então candidato reforçou que os benefícios continuariam sendo concedidos, “mas para artistas talentosos, que estão iniciando suas carreiras e não possuem estrutura”.

Na gestão Bolsonaro, a pasta da Cultura foi incorporada pelo Ministério da Cidadania, área do futuro ministro Osmar Terra.

Em 2019 iniciaremos rígido controle de concessões. Há claro desperdício rotineiro de recursos, que podem ser aplicados em áreas essenciais. Este mês, NUM SÓ DIA, o Gerente de Responsabilidade Sociocultural de FURNAS autorizou via LEI ROUANET R$ 7,3 MILHÕES para 21 entidades.

Em 2019 iniciaremos rígido controle de concessões. Há claro desperdício rotineiro de recursos, que podem ser aplicados em áreas essenciais. Este mês, NUM SÓ DIA, o Gerente de Responsabilidade Sociocultural de FURNAS autorizou via LEI ROUANET R$ 7,3 MILHÕES para 21 entidades.

Camata aumenta lista de políticos assassinados; relembre casos no Brasil

Postado por Caio Hostilio em 27/dez/2018 - Sem Comentários

assassinato de Gerson Camata, ex-senador e ex-governador do Espírito Santo, nesta quarta-feira 26, amplia uma lista desoladora da história brasileira: a de políticos assassinados. No caso de Camata, distante de cargos eletivos desde 2011, o crime foi motivado por uma ação judicial movida por ele contra seu ex-assessor, Marcos Venício Moreira Andrade, que o acusou de corrupção no passado e confessou ser o autor dos disparos.

Relembre alguns casos de grande repercussão de políticos que foram assassinados no país:

Marielle Franco foi assassinada durante mandato como vereadora do Rio de Janeiro

Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro – 14 de março de 2018

Vereadora do PSOL, Marielle foi assassinada em um crime ainda não completamente desvendado. Seu motorista, Anderson Pedro Gomes, também morreu quando o carro em que estavam foi emparelhado por outro veículo e atingido por tiros, na região central do Rio de Janeiro. Investigado como um dos envolvidos no caso, o vereador Marcello Siciliano (PHS), ex-colega de Marielle, se declarou “indignado” quando foi detido. A investigação aponta que milícias da cidade seriam interessadas na morte da política.

O então prefeito de Jandira, Braz Paschoalin – 15/03/2010

Braz Paschoalin – prefeito de Jandira (SP) – 10 de dezembro de 2010

Paschoalin foi assassinado durante seu terceiro mandato como prefeito de Jandira, cidade na Grande São Paulo. Na manhã de uma sexta-feira, teve seu carro alvejado por mais de 10 tiros que partiram de outro veículo, quando se aproximava da sede de uma rádio, na qual participava de um programa semanalmente. Os criminosos foram encontrados horas depois, tentando incendiar o automóvel com o qual realizaram o crime. Entre acusados, presos posteriormente sob suspeita de serem mandantes do crime, estão um ex-secretário municipal e empresários.

Celso Daniel, então prefeito de Santo André, em entrevista coletiva – 28/05/1997

Celso Daniel, prefeito de Santo André (SP) – 18 de janeiro de 2002

Sequestrado quando deixava uma churrascaria, o então prefeito de Santo André Celso Daniel teve seu corpo encontrado com onze tiros e sinais de tortura, dois dias depois, na estrada da Cachoeira, em Juquitiba (SP). A investigação da época concluiu que o caso foi uma extorsão seguida de morte, com a prisão de seis integrantes de uma favela na zona sul de São Paulo. No entanto, pessoas próximas de Daniel prontamente levantaram a suspeita de crime político, apontando que o prefeito conhecia detalhes de esquemas de corrupção envolvendo seu próprio partido, o PT.

Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT – 06/10/2000

Toninho do PT, prefeito de Campinas (SP) – 10 de setembro de 2001

O prefeito, filiado ao PT, estava próximo de completar o primeiro ano no cargo, quando foi assassinado. Ele se encontrava em seu carro e recebeu três tiros vindos de outro automóvel. O inquérito do caso concluiu que criminosos em fuga dispararam após serem “fechados” no trânsito. Familiares e ex-colegas de Toninho, porém, denunciaram motivações políticas, levando em conta ações de seu mandato contra esquemas de corrupção na cidade, além de possível envolvimento de figuras do próprio partido. A cobertura de sua morte coincidiu com os ataques terroristas ao World Trade Center, em Nova York, na manhã seguinte.

O então governador do Acre, Edmundo Pinto – 23/03/1992

Edmundo Pinto, governador do Acre – 17 de maio de 1992

Hospedado em um hotel em São Paulo, o então governador do Acre foi morto a tiros por criminosos que roubaram 500.000 cruzeiros de seu quarto, entre roubos a outros inquilinos. Edmundo Pinto tinha depoimento marcado naquela semana para uma CPI no Congresso sobre desvios de verbas do FGTS, em caso envolvendo outros políticos. Apesar das suspeitas de crime político, a polícia concluiu o caso como latrocínio (roubo seguido de morte).

José Kairala, senador do PTB-AC, morto a tiros por Arnon de Mello, do PDC-AL, durante uma briga com Silvestre Péricles de Góes Monteiro, do PTB-AL, no plenário do Senado – 04/12/1963

José Kairala, senador pelo Acre – 4 de dezembro de 1963

Kairala foi atingido durante uma sessão do Senado, vítima de disparo efetuado por um colega da Casa. Na ocasião, Arnon de Melo  (pai do ex-presidente Fernando Collor) discursava se defendendo de denúncias, quando foi interrompido pelo também senador Silvestre Péricles de Góis Monteiro, ambos representantes do estado de Alagoas. Melo sacou uma arma e tentou atirar contra Péricles, porém acertou o acriano, que não resistiu. Preso em flagrante, Arnon Melo foi inocentado posteriormente

Marcial Lima denuncia falta de infraestrutura e trânsito caótico no acesso à Estrada da Maioba, na Forquilha

Postado por Caio Hostilio em 26/dez/2018 - Sem Comentários

Em visita à Forquilha e entorno, mais precisamente no acesso entre a MA-201, a Estrada de Ribamar, e a MA-202, mais conhecida como Estrada da Maioba, o vereador Marcial Lima (PSD) constatou o caos provocado pela falta de infraestrutura e o abandono. A buraqueira e a lama comprometem gravemente a mobilidade urbana na área, onde o fluxo de tráfego é um dos mais intensos da região metropolitana de São Luís. A região também funciona como ligação com a Cohab, Cohatrac, Jardim Araçagi e bairros adjacentes e apresenta pontos críticos que dificultam o trajeto em qualquer sentido.

Marcial Lima mostrou a lentidão do trânsito, causada pelos buracos, e denunciou o descaso das autoridades públicas do Poder Executivo, que não dão a devida atenção ao problema. O vereador alertou que no período chuvoso a situação fica ainda mais complicada, com risco ainda maior para condutores de veículos e pedestres. Em horários de pico, é preciso ter muita paciência para passar no local. E quem se aventura no trecho se expõe, inevitavelmente, ao risco de acidentes, danos materiais, sem contar os atrasos ao trabalho, escola, faculdade, consultas, exames médicos e outros compromissos.

Moradores, comerciantes e motoristas não cansam de fazer apelos por melhorias na áreas. De tanto reclamarem, os cidadãos prejudicados obtiveram, recentemente, uma resposta do poder público. Mas o que era para ser um benefício resultou em decepção, pois as intervenções feitas foram destruídas pela primeira chuva. Marcial Lima fez questão de conversar com populares sobre o drama de conviver com tantos transtornos. E todos foram unânimes em confirmar o abandono ao qual estão relegados, sem que haja uma providência efetiva dos governantes.

O que mais chamou atenção de Marcial Lima foi a má qualidade dos serviços feitos na região. Abordados pelo vereador em seus estabelecimentos, comerciantes relataram que algumas vias foram recuperadas há cerca de um ano e meio e hoje encontram-se em estado lastimável, sem condições adequadas para o fluxo de trânsito e com pontos transformados em verdadeiras armadilhas para quem circula de carro, de motocicleta ou a pés. Os cidadãos ouvidos pelo representante do Legislativo municipal contaram já ter visto muitas pessoas, principalmente mulheres, idosos e crianças, tropeçarem e caírem enquanto atravessavam a pista em meio à lama e a buraqueira.

Marcial Lima chama atenção da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) e da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) para que tomem medidas que restabeleçam a mobilidade no local. O vereador adverte que um contingente expressivo de pessoas oriundas de São José de Ribamar, de Paço do Lumiar e até mesmo da capital sofre diariamente com o problema e se sente desamparado pelos administradores públicos. Ecoando o clamor popular, Marcial solicita às autoridades que cumpram sua obrigação constitucional.

Por ser uma região comercial, os empresários estabelecidos nas vias principais e nas auxiliares, todas com mobilidade comprometida, amargam sucessivos prejuízos. Muitos já não conseguem obter com o seu trabalho os recursos suficientes para o pleno sustento das suas famílias e a manutenção dos seus negócios. É uma realidade extremamente desfavorável, um dilema provocado, sobretudo, pelo desprezo dos governantes de agora com o bem-estar de cidadãos que não dispõem do mínimo para viver dignamente.

Assista ao vídeo:

Busca no Blog