Recém-inaugurado pela gestão do prefeito Edivaldo, Museu da Gastronomia Maranhense encanta turistas e ludovicenses

Publicado em   18/jun/2019
por  Caio Hostilio

Espaço que apresenta a história da gastronomia maranhense foi entregue pela gestão do prefeito Edivaldo no dia 13 de junho e tem recebido ludovicenses e turistas que querem conhecer mais sobre a culinária local

Recém-inaugurado pela gestão do prefeito Edivaldo, Museu da Gastronomia Maranhense encanta turistas e ludovicensesOs sabores da gastronomia tipicamente maranhenses bem representados em um espaço localizado no coração do Centro Histórico de São Luís. Desde que foi entregue pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior na última quinta-feira (13), o Museu da Gastronomia Maranhense, tem atraído centenas de turistas e ludovicenses curiosos sobre as histórias da culinária e dos produtos gastronômicos que fazem parte da cultura local. Com o equipamento, a proposta do poder público municipal é, além de apresentar aos visitantes a gastronomia maranhense, fortalecer o sentimento de pertencimento na população ludovicense. O equipamento é resultado de parceria com o Ministério do Turismo e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Localizado em um casarão reformado na Rua da Estrela, o museu funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h e aos sábados das 8h às 12h e já recebeu cerca de 400 pessoas desde a inauguração. A secretária municipal de Turismo, Socorro Araújo, conta que o espaço tem alcançado o objetivo para o qual foi planejado. “Quando pensado, o Museu da Gastronomia Maranhense buscou contemplar dois vieses. A proposta era criar um espaço que atraísse a atenção tanto dos visitantes quanto da população local. Esse objetivo tem sido alcançado com êxito, o que é perceptível no encantamento das pessoas ao visitarem este espaço que é nosso”, ressaltou a secretária destacando que a ação faz parte do trabalho que vem sendo desenvolvido pela gestão do prefeito Edivaldo visando a requalificação do Centro Histórico e que tem como reflexo a reocupação do espaço por ludovicenses e turistas e a movimentação do comércio com a geração de emprego e renda.

O museu encantou os ludovicenses, que agora têm um local que conta um pouco mais sobre São Luís através da gastronomia. “Geralmente as pessoas quando viajam gostam de saber sobre a gastronomia local e esses produtos expostos falam muito da gente, então esse espaço aqui acaba sendo uma forma das pessoas conhecerem um pouco mais da nossa história. Gostei muito também dessa parte dos festejos populares. A localização do museu também é muito boa, próximo dos principais pontos turísticos da cidade” disse o universitário Anderson Rafael Neres, 23 anos.

No museu, um passeio pelos produtos, pratos típicos, bebidas, utensílios, personagens, festejos e um pouco da história das culturas que influenciaram a gastronomia maranhense. Logo na entrada, uma mesa farta com caranguejo toc toc, arroz de cuxá e pescada. “Contando um pouco da nossa história, a gente tenta proporcionar ao visitante uma experiência positiva e, assim, fazer com que eles possam conhecer e perpetuar as tradições que envolvem a culinária local”, afirmou Bruna Rossana Santos, uma das responsáveis por conduzir os visitantes que chegam ao museu.

A turista Paloma Silva ainda nem teve a oportunidade de experimentar a comida maranhense, mas já observou a diversidade da culinária local na visita ao museu. “Sou de São Paulo e essa é a minha primeira experiência com a cidade de São Luís e já achei incrível. Vim conhecer a cidade e acho muito importante ter um espaço como esse. Gostei especialmente da parte que explica como a fusão da cultura portuguesa, africana e indígena gerou muitos dos pratos típicos maranhenses”, contou a social media.

Durante a visitação, muitos vivem momentos de nostalgia, com a identificação de utensílios como a bateria, o filtro de barro, o pilão, entre outros; e de figuras como o pregoeiro, trabalhadores que contribuíam para o abastecimento de alimentos no Centro de São Luís, anunciando produtos de forma poética e vendendo frutas, verduras, peixes, caranguejo entre outros produtos que eram armazenados em cofos. Também estão representados espaços como a Casinha da Roça, representação da casa das tradicionais famílias do interior do Maranhão, e a Casa das Tulhas, onde são encontrados produtos como camarão, castanhas, farinhas, tiquiras, licores entre outros.

A cozinheira Myleny Saraiva contou que pelo ofício diário se identificou ainda mais com o espaço. “Eu estava ansiosa para conhecer e achei maravilhoso. Acredito que todos esses elementos nos representam muito. Eu cozinho com amor e gostei muito desse espaço”, disse. “A nossa cultura é miscigenada e isso está também representado na nossa culinária, então é importante essa referência às influências. Esse museu veio em um bom momento para despertar a atenção do comércio local, das pessoas que trabalham com o turismo, e de tantos outros, para esse terreno que deve ser explorado que é o da gastronomia”, complementou o turismólogo Rafael Marques.

O museu recém-inaugurado, além da exposição permanente, abrigará exposições temporárias e servirá como um centro de capacitação àqueles que desejarem aprender na prática acerca da gastronomia maranhense, com cursos para a elaboração de pratos típicos.

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Busca no Blog