Neto Evangelista admite PDT ser vice e confirma diálogos com MDB, PSL e PSD

Publicado em   25/jan/2020
por  Caio Hostilio

Pré-candidato a prefeito de São Luís, o deputado Neto Evangelista (DEM) confirmou que são grandes as chances de o PDT fazer parte da sua chapa na condição de vice. “Existe uma aliança hoje nacional entre PDT e DEM, principalmente em capitais, agora eu óbvio desejo muito ter o PDT na minha coligação”, disse. Em entrevista ao jornalista John Cutrim e o radialista Robson Jr. no programa Resenha da TV Difusora neste sábado, Neto afirmou que o deputado Eduardo Braide, também pré-candidato a prefeito, não deixou legados positivos em suas passagens no executivo.

“O Braide tem a experiência de gestão dele na Caema e não me recordo como uma boa experiência administrativa”, observou. Evangelista criticou também as alianças feitas pelo líder nas pesquisas até o momento. “Não dá pra você ficar conversando com políticos pra construir uma agremiação política e na hora de dar uma entrevista dizer que não quer nenhum político do seu lado. Tem que ter gestão e tem que ter política”, alfinetou.

Neto Evangelista revelou que conversa com outros partidos, entre os quais PSL, MDB e  PSD, e está disposto, segundo ele, a dialogar com todos. “Minha bandeira não é vermelha, minha bandeira não é azul, não é verde, a minha bandeira é de trabalho pela cidade de São Luís. Nós temos que ter diálogo dentro da política, eu não sou pré-candidato a presidente de partido, eu sou pré-candidato a prefeito da minha cidade e todos aqueles que quiserem vir compor em torno de um projeto pra São Luís será bem vindo, com uma lembrança importante: quero ser prefeito de São Luís não pra ser liderado, mas pra ser um líder de um projeto por essa cidade”, declarou ao Resenha da TV Difusora.

Vice do PDT

“Mantemos um diálogo permanente, o PDT é um partido histórico em São Luís que tem uma história de luta advinda do Dr. Jackson Lago do qual fiz campanha pra governador inclusive por duas vezes. Tem uma liderança importante no estado que é o senador Weverton Rocha, o prefeito Edivaldo, o presidente da Câmara Osmar Filho.

O certo é que existe uma aliança hoje nacional entre PDT e DEM, principalmente em capitais, agora eu óbvio desejo muito ter o PDT na minha coligação compondo a minha chapa enquanto amanhã candidato a prefeito de São Luís.”

Apoio do PSL

“Tenho um carinho pelo Chico Carvalho, ele foi vereador junto com o meu pai e me viu nascendo e hoje preside um partido importante aqui no Maranhão que é o PSL. Tem a maior bancada dentro do Congresso Nacional.

Minha bandeira não é vermelha, minha bandeira não é azul, não é verde, a minha bandeira é de trabalho pela cidade de São Luís. Nós temos que ter diálogo dentro da política, eu não sou pré-candidato a presidente de partido, eu sou pré-candidato a prefeito da minha cidade e todos aqueles que quiserem vir compor em torno de um projeto pra São Luís será bem vindo, com uma lembrança importante: quero ser prefeito de São Luís não pra ser liderado, mas pra ser um líder de um projeto por essa cidade. Todos aqueles que vierem somar terão participação, porém com a liderança importante e presente do prefeito de São Luís se assim a população permitir que seja”.

MDB e PSD

“O deputado Roberto Costa é um grande amigo que eu tenho dentro da Assembleia Legislativa e é um dos grandes quadros políticos do nosso Estado, diga-se de passagem. Converso com o deputado Roberto, converso com o deputado Edilázio do PSD, estou aberto pra dialogar com todos aqueles partidos que querem fazer um projeto de gestão e de desenvolvimento pra São Luís”.

Eduardo Braide

“O Eduardo Braide foi deputado junto comigo, hoje deputado federal, tem sua experiência política administrativa, foi presidente da Caema, infelizmente não é uma agência que tem boas lembranças pra população de São Luís. Eu desafio qualquer cidadão dizer algum momento que esteve feliz com a gestão da Caema, a prefeitura faz a pavimentação, a Caema quebra, aí pra mim é falta de diálogo entre empresa e prefeitura. O Braide tem a experiência de gestão dele na Caema e não me recordo como uma boa experiência administrativa.

Agora eu jamais esconderei qualquer aliança política que eu queira fazer pra chegar as eleições de São Luís. Primeiro, porque acho que tem que ter transparência com o eleitor, não dá pra você ficar conversando com políticos pra construir uma agremiação política e na hora de dar uma entrevista dizer que não quer nenhum político do seu lado. Tem que ter gestão e tem que ter política. Contem comigo com transparência, jamais conversando com a classe política e dizendo pras câmaras que meu contato é apenas com o povo”.

Por John Cutrim

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Busca no Blog