“Que poder tem a Caema?”, pergunta apresentador de TV, questionando a morosidade da Justiça quando o assunto é a empresa na cidade de Imperatriz

Publicado em   19/nov/2022
por  Caio Hostilio

Por Hemerson Pinto

O jornalista cobrou agilidade no julgamento do processo de quebra de contrato da Prefeitura com a companhia

Quando o assunto é a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), as reclamações não chegam somente dos bairros, onde moradores reclamam de problemas como falhas no abastecimento de água e esgoto à céu aberto, mas também de quem leva a notícia diariamente ao imperatrizense, seja ouvindo a população ou emitindo opinião própria, como fez o apresentador Gonzaga Silva.

No programa ‘Gonzaga Silva na TV’, na TV Meio Norte Imperatriz, o jornalista cobrou firmemente a agilidade da Justiça, pedindo resposta sobre o processo de quebra de contrato da Prefeitura de Imperatriz com a Caema. Uma decisão judicial é aguardada desde quando o Município anunciou o rompimento com a estatal e a contratação temporária de uma nova empresa para operar o abastecimento de água e esgotamento sanitário na cidade.

Em tom crítico, o apresentador disse: “temos muitas denúncias, gravíssimas, a respeito da Caema. Falta de água, esgoto a céu aberto, esgoto sendo jogado diretamente no Rio Tocantins. Eu não consigo entender como é que a Justiça demora tanto. O Ministério Público em Imperatriz, em 2017, notificou a Caema, pedindo explicação a respeito do esgoto jogado no rio e nas ruas. O MP pediu explicações à Caema. Vejo que tá muito demorado. Acredito muito na justiça, mas esse processo precisa ser logo definido”, declarou, questionando em outra fala sobre que poder a Caema teria para o atrasar a decisão judicial.

Gonzaga completou dizendo que “é preciso definir logo para que o autor que deu entrada nesse processo, recorra para algum lugar, São Luís, Brasília, as instâncias superiores. O processo está parado na segunda vara da Fazenda, não vai nem pra frente nem pra trás.

Com base em reclamações que recebe no seu programa diário, Gonzaga Silva afirmou que “o povo está agoniado com essa situação da Caema. O povo está esperando uma decisão da Justiça, se foi deferido, indeferido, se a Caema sai e se entra outra empresa, ou não”, reforçou.

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

PUBLICIDADE

Busca no Blog

Arquivos