Tremenda saia justa!!! Convênios pagos com emendas de Weverton Rocha estão na mira do Coaf

Publicado em   01/dez/2023
por  Caio Hostilio

Convênios pagos com emendas de Weverton Rocha estão na mira do Coaf

Dois deles foram vencidos pela Construservice, empresa atribuída ao empresário Eduardo José Barros Costa, o Eduardo DP

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou como suspeitos convênios da Codevasf pagos com emendas parlamentares do senador Weverton Rocha (PDT-MA, foto), registrou a Folha de S. Paulo.

Segundo o jornal, dois deles foram vencidos pela Construservice, empresa atribuída ao empresário Eduardo José Barros Costa, o Eduardo DP, acusado de integrar um esquema para o desvio de verba de emendas parlamentares.

No convênio 897372 de 2019, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba repassou 3,8 milhões de reais para o recapeamento de ruas de Carutapera, no Maranhão. Embora a construtora tenha sido a única credenciada, um relatório da Polícia Federal indica que outras duas empresas, a Essencial Construtora e a P. R. da Silva Souza Eireli, também compraram o edital para a disputa.

De acordo com o Coaf, a P. R. da Silva Souza Eireli recebeu 70 mil reais entre 1º de setembro de 2019 e 24 de agosto de 2020, período em que ocorreu a licitação, de uma pessoa identificada como Gilvan Araújo Aguiar. Na mesma época, Gilvan recebeu 80 mil reais da Construservice.

No convênio 896774 de 2019, a prefeitura contratou a empresa E Araújo Guimarães-ME para fazer o projeto de pavimentação asfáltica executado pela construtora de Eduardo DP. A obra foi beneficiada com outra emenda de Weverton Rocha, no valor de 3,8 milhões de reais.

O relatório do Coaf mostrou que a E Araújo Guimarães-ME fez repasses de 679 mil reais a Adilton Costa, um dos sócios da Construservice.

Na ocasião, três empresas —R. Almeida, Consent e GPA Construções— que entraram na disputa contra a Construservice, mas foram inabilitadas e preferiram não recorrer da decisão.

No mesmo convênio, o Coaf considerou suspeitas as transações entre duas empresas que participaram do edital, identificando pagamentos relacionados a Saymon Aquino Araujo.

“A GPA e a Consent, dizem os investigadores, aparecem como origem de lançamentos que superam 2,5 milhões de reais para a conta de Aquino Araujo, entre junho de 2019 e março de 2020. Nesse intervalo, os sócios das duas empresas também repassaram cerca de R$ 45 mil ao mesmo titular. Já Aquino Araujo, diz o Coaf, fez repasses de 79,6 mil reais a Adilton, sócio da Construservice, e de mais de 500 mil reais para a GPA e ao dono formal da mesma empresa”, diz o jornal.

À Folha, o senador Weverton Rocha negou qualquer irregularidade relacionada às emendas direcionadas por ele. As empresas a E Araújo Guimarães-ME e a P. R. da Silva Souza Eireli não se manifestaram sobre as suspeitas apontadas pelo Coaf.

Já a GPA e a Consent disseram ao jornal que os pagamentos realizados a Saymon Aquino Araujo foram referentes a serviços de engenharia.

  Publicado em: Política

Deixe uma resposta

Contatos

hostiliocaio@hotmail.com

Busca no Blog

Arquivos